logo

Oeiras combate isolamento de população idosa com programa SOS Isolamento

Articulação com entidades locais permite sinalizar e atuar em casos de risco no concelho

Zonas de risco A Câmara Municipal de Oeiras disponibiliza o SOS Isolamento, um programa de referenciação e intervenção junto da população em situação de isolamento.

Disponível através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou da linha 21 440 83 00 (2ª a 6ªfeira, das 9h00 às 17h30), é possível dar nota de situações detetadas na comunidade e pela comunidade, permitindo assim o mapeamento e a intervenção especializada direcionada, em especial, para pessoas idosas em situação de risco.

A sinalização de situações de alerta pode ser feita por qualquer pessoa e dá início a um processo de avaliação preliminar para confirmação dos factos relatados. Posteriormente, e tendo em conta as especificidades de cada situação, é atribuído um gestor de caso, que será um técnico da entidade mais próxima e/ou com a resposta mais adequada às necessidades dessa pessoa.

O processo será alvo de monitorização, dela podendo resultar ou a manutenção de um sistema de vigilância permanente que assegure a proteção da pessoa, ou o seu encerramento, quando esteja em execução a resposta às suas necessidades.

Atualmente residem no concelho de Oeiras cerca de 33 mil pessoas com mais de 65 anos, sendo que, destas, mais de 20 mil vivem sós ou com pessoas da mesma faixa etária. Estes representam cerca de 12% da população. "Através do SOS Isolamento acreditamos que será possível traçarmos um retrato mais fiel da problemática do isolamento e minimizar as possibilidades de termos, no nosso território, pessoas sem qualquer apoio e acompanhamento", destaca Paulo Vistas.

O SOS Isolamento envolve um trabalho permanente da Câmara Municipal de Oeiras em articulação estreita com entidades tais como o Instituto de Segurança Social, o Agrupamento de Centros de Saúde de Lisboa Ocidental e Oeiras e as Juntas e Uniões de Freguesia, assim como as diversas instituições de solidariedade social locais com intervenção na área do envelhecimento.

2017/08/04 JF UF Carnaxide Queijas